PROSOPOPÉIA

 

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Friday, December 13, 2002

 
Ministros
Enfim, Lula começou a divulgar seus ministros. Logo de início, uma surpresa: Palocci, será o ministro da Fazenda – todos esperavam que o cargo seria ocupado por Aloísio Mercadante. Pode até parecer estranho o ex-prefeito de Ribeirão Preto, médico por formação, assumir a Fazenda. Mas muitos garantem que isso não será impecilho para uma bom ministério. No Brasil, vários ministros da Fazenda deram certo sem ser economistas. Joaquim Murtinho, que saneou as finanças do País no Governo de Campos Sales, era um médico. “Achamos que o presidente acertou na indicação do novo ministro, pois o médico tem formação humanista e é sob esta ótica no novo Governo que devem ser enfrentados os problemas econômicos do País. Ele deve ter a população como referência na busca das soluções”, definiu o presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremerj), Aloísio Tibiriçá Miranda.
Gostaria de ver a análise do Bernardo e do Paulão sobre a nomeação de Henrique Meirelles para a presidência do Banco Central. Heloísa Helena está indignada. Malan, Fiesp, Firjan e até a CUT elogiaram.

Frase do dia:
"Não importa se viemos de um lugar pobre, e sim que nunca estivemos envolvidos em falcatruas", Dona Sônia, mãe do craque Ronaldo, ao ser barrada na entrada do condomínio Barra Golden Green. Uma vizinha disse que a família do jogador é suburbana e favelada, por isso não pode freqüentar sua cobertura, avaliada em R$ 8 milhões.

Está tudo pronto para a festa da posse... Scream for me Brasília!

Thursday, December 05, 2002

 
Ano novo
Fala galera! Qual é a boa para o reveillon? Como pretendo passar aqui no Rio, gostaria de combinar alguma coisa com a galera. Deixem comentários, ok? Abaixo, um artigo meu (que marra!)

Cidade de Deus x Ônibus 174

Emanuel D. Alencar

Excelenete, ótimo, espetacular, maravilhoso. Não faltam adjetivos na boca da maioria das pessoas para qualificar Cidade de Deus. Quase uma unanimidade, o filme é bastante feliz ao mostrar o crescimento do tráfico de drogas e a mudança da sociedade ao longo do tempo na comunidade. Mas, na tentativa de buscar respostas e origens para a violência que hoje tanto nos aflige, CDD deixa a desejar. O documentário Ônibus 174 é, neste ponto, incomparável, quase perfeito.
Tendo como centro o seqüestro de um ônibus, com desfecho pra lá de trágico, Ônibus 174 fez uma ampla análise do tempo em que vivemos, da cidade partida. Toca em questões importantes como o despreparo da polícia, a inoperância do governo no combate à miséria e o falido sistema penitenciário do país. Trata-se de um documentário, e como tal, baseia-se em fatos reais, o que nem sempre ocorre em CDD. Este, está repleto de cenas onde a violência – nua, cruel e banal – não contribui para uma reflexão. Deixa de mostrar o cotidiano do trabalhador da comunidade. Fica a impressão de que o tráfico é o início, o meio e o fim das relações sociais da Cidade de Deus.
Ônibus 174 amplia o leque de discussões. Desmonta, peça a peça, esta complexa e perversa máquina geradora de violência, ódio e seres humanos como o seqüestrador Sandro. Mostra, a quem quiser ver, a incapacidade do Estado em recuperar, dar uma oportunidade a milhares de jovens e crianças cariocas.
Se, em CDD, Zé Pequeno representa o homem mau por natureza e Buscapé é a bondade em pessoa, Ônibus 174 tem o mérito de não buscar culpados e inocentes, foge do perigoso e inútil maniqueísmo. O tráfico de drogas não é encarado como um mal necessário, como em CDD, mas como fruto da falta de assistência estatal à maioria da população.
O seqüestro do ônibus 174 soa como um alerta: o ato de Sandro, mais do que a ação de um insano, pode ser encarado como um grito desesperado de alguém que não teve o direito de tornar-se um cidadão, de alguém que não suporta mais pertencer ao lixo da sociedade.
A viagem sem fim do ônibus 174 deixa a lição: Sandro, Geisa, eu, você, Buscapé ou Zé Pequeno – somos todos vítima da absurda desigualdade social dos dias de hoje. Um mal que precisa ser atenuado. Falta mobilização. Falta vontade política.

Monday, December 02, 2002

 
Combate à infidelidade no Japão
Já não dá mais para dar aquele balão a patroa perceber. Um spray vendido no Japão "entrega" quando o cara volta para casa depois de dar uma por fora. O aerosol é aplicado na cueca, que fica verde com qualquer vestígio de esperma. O detector de traidores saiu no último número da revista cientifica "New Scientist", uma das mais prestigiadas do mundo. A invenção, que recebeu o nome de S-check, é vendida a 200 esposas por mês pela agência de detetives Gull, de Tóquio. O negócio funciona porque o pênis continua vazando esperma até duas horas depois da ejaculaçao. Ou seja, se o sujeito sai com a amante depois do trabalho, a cueca vai estar manchada quando ele chegar em casa. O detector também funciona contra mulheres que pulam a cerca e ficam com sêmen na vagina. "Mas 99% dos nossos clientes sao mulheres casadas", disse Takeshi Makino, de outra agência de detetives no Japao. O spray que deixa a cueca verde nao é a única arma dos detetives contra os maridos infiéis. Dois tipos de gel também pegam o cidadão no pulo. Um deles é para ser discretamente esfregado nas costas do sujeito pela esposa. Se ele tomar uma ducha no meio da tarde, vai voltar para casa com uma bela mancha na pele. O outro é para ser usado nas meias: elas mudam de cor quando o figura as tira por pelo menos 15 minutos. O jeito é levar uma cueca extra na mala, nao tomar banho e transar de meia.

Botei meu sapatinho
Na janela do quintal
Papai-Noel deixou
Meu presente de Natal
Como é que Papai-Noel
Não se esquece de ninguém?
Seja rico ou seja pobre
O velhinho sempre vem!


Cristiano, Rodriguinho, Zé, Perri, Paulinho e, agora, Pedro namorando... O que está acontecendo com a galerinha? Solteiros, uni-vos! E nunca esqueçamos: o fim último das coisas é comer a gostosa!