PROSOPOPÉIA

 

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Thursday, October 31, 2002

 
Lula é nosso presidente!
Antes de mais nada, explico o motivo de minha ausência nos últimos dias: fui a São Paulo, num evento promovido pela Revista Ferroviária, onde trabalho. Tive que deixar a bela festa da Cinelândia domingo à noite, mas, ao chegar em SP, corri para a Avenida Paulista. Sim, estive presente em um momento histórico neste país. Lula, recém eleito, discursou a poucos metros de mim. O momento de maior emoção foi quando todos cantaram o hino nacional. O hino de um país que, agora, será governado por um ex-operário. De um país que não admite mais ter milhões de cidadãos passando fome.

UM VOTO PLENO

Chico Alencar

27 de outubro foi o Dia Nacional da Juventude e o Dia Mundial de Oração pela Paz. Neste 2002, o 27 de outubro caiu num domingo, quando, no Brasil, 115 milhões de cidadãs e cidadãos elegeram o Presidente da República. Meu voto - palavra que vem do latim votu e quer dizer promessa solene ou desejo ardente - teve energia juvenil e será a prece de quem sabe que não há harmonia sem justiça. Por isso teclei 13.
Quando digitei 13, aparecereu na tela da máquina de votar o rosto de uma pessoa. Sua cara conhecida significarou, naqueles segundos, muitas coisas. Seu cabelo e sua barba agora grisalhos falaram do tempo, que não pára: meu voto foi o de muitos contemporâneos que viveram em outra época e de muitos compatriotas que nasceram em outros países. Votei pelos escravos, a quem só foram dados pau, pano e pão, e uma existência de opressão; votei pelos condenados da terra, que só encontraram sofrimento e humilhação; votei por tantos, de minha geração, que sonharam com este momento e não puderam vivê-lo. Então meu título de eleitor teve o nome de Angela Borba ou João Batista Petersen, Margarida Alves ou Wilson Pinheiro, Isabel Picaluga ou Batistinha, Henfil ou Betinho, Sérgio Buarque ou Gonzaguinha, Edma ou Marcos, Chico Mendes ou Márcia Lyra, Ferreirinha ou Joaquim Arnaldo, Antonio Luís Lopes ou Jorge Maia, Hélio ou Pedro Pellegrino, Mário Lago ou João Nogueira, Florestan, Dorcelina, Toninho ou Celso Daniel...
Os olhos daquele homem no visor ampliaram minha visão. Enxerguei, afinal, que o futuro, lugar das nossas esperanças, só é forjado com solidez quando compreendemos o passado e sabemos viver todas as dimensões do presente, tornando-nos presença solidária, cidadã e militante. Alcançando o Oriente, vi o Mahatma Gandhi, que era, ele próprio, a mudança pela qual lutou e jejuou. Nas minhas retinas do homem da tela estavam, num olho que agita, o Che, enternecido guerrilheiro, e no outro, sempre a boiar, o gesto que ampara para já, da irmãzinha Teresa de Calcutá.
Com o seu-meu nariz senti os odores da Terra, e percebi, num átimo de tempo, que a podridão dos mares poluídos, dos manguezais plastificados e dos céus de chuva ácida não abafa o aroma dos campos cultivados e repartidos e daquela flor que brota entre rios de asfalto e árvores de aço.
Da boca do retrato, do auto-retrato, sairam palavras de vida. De Paulo Freire, ouvi que "ninguém liberta ninguém: as pessoas se libertam em comunhão". De Carlito Maia, pacifista velho de guerra, chegou a explicação: "PT, estrela vermelha, astral azul, a luz no fim do túnel, Puta Tesão!". De Samora Machel vieram as vozes d'África para nos orientar no deserto fértil que enfrentaremos: "a paciência é uma virtude revolucionária". Confessando que viveu, a boca de Neruda disse que nossa missão é "navegar semeando a alegria e juntar nosso cantar aos doloridos cantares de nuestro pueblo".
E então o rosto, com a minha confirmação, se apagou. Mas os meus dedos que teclaram tantos mundos continuarão operários, pois "muita diferença faz entre lutar com as mãos e abandoná-las para trás". E eu saí para os meus queridos, para a minha cidade, para o meu país e para o planeta inteiro afirmado e sem medo, esse sentimento que apequena: votei em mim, em nós. Saí sem medo de criar, de ousar, de mudar. Sem medo de ser feliz.

Rio, outubro de 2002

Wednesday, October 23, 2002

 
Só um breve aviso, galera:
Quem ainda não viu, não deixe de conferir o documentário Ônibus 174. Está em cartaz no Espaço Unibanco.

Monday, October 21, 2002

 
Nosso amigo Gianriccardo declarou, sexta-feira, seu apoio à terceira idade. Agora vai votar sistematicamente no Sérgio Cabral.

Pensamento do dia:
Nunca confie em algo que sangre de 3 a 5 dias e não morre.

Tuesday, October 15, 2002

 
Frase do dia:
"Se ainda mantivesse interesses financeiros por aí e o sr. Silva – vocês o chamam de Lula, não é? – ganhasse a eleição eu os manteria sem medo nenhum", David Rockfeller, banqueiro norte-americano, símbolo do capitalismo.

Monday, October 14, 2002

 
Essa vai pros meus parceiros amantes da noite...

Avenida Acacia 22
Harris - Smith

Se você está se sentindo por baixo, deprimido e sozinho
Eu conheço um lugar aonde podemos ir
Avenida Acacia 22, encontrar uma dama que conheço
Então se você está em busca de uns bons momentos
E você está preparado para pagar o preço
Quinze libras é tudo que ela pede em troca
Todo mundo tem seu vício

Se você está esperando por um longo tempo
os outros acabarem
Você pode dizer a ela que você me conhece
e talvez você leve de graça
Então toda vez que estiver no lado oeste
não hesite em ir
Você tem minha palavra de honra
Em troca ela vai te ensinar mais do que você pode saber

Charlotte você não pode se afastar de toda essa loucura?
Não consegue ver que isto só te traz loucura?
Quando você distrai seu homens
não sente o risco de pegar doenças?

Algum dia quando você chegar a idade de 40 anos
Aposto que você vai lamentar os dias do passado
Então ninguém mais vai querer saber
Você não terá mais coisas bonitas para mostrar

22, a avenida que é o lugar onde todos vamos
Você vai achar aconchegante lá dentro
a luz vermelha brilhando à noite

Charlotte, não é hora de você parar com essa vida louca?
Você nunca pensa nos tempos ruins?
Porque você tem de viver desta forma?
Você gosta de sua vida ou é pelo dinheiro?

Algumas vezes quando você passeia pela avenida
Seu jeito de andar faz os homens pensarem em tê-la
Quando você está andando pelas ruas
Todos param e se voltam para observar você

Bata nela, maltrate-a
faça qualquer coisa que queira
Morda ela, excite-a
faça-a ficar de joelhos
Abuse dela, use-a
ela pode te dar tudo o que você quiser
Acaricie-a, moleste-a
ela sempre faz o que você quer

Você está fugindo, não percebe o que esta fazendo?
Não consegue ver que isto levará você à ruína?
Charlotte você teve a sua vida e a desperdiçou
Você acredita nisso porque é o que tem ouvido
Sua vida é boa, não sabe que está machucando
Todas as pessoas que te amam, não os deixe de lado
Todos os homens que estão constantemente passando ridículo
Não é vida para você, pare com toda essa maluquice
Você faz suas malas e você vem comigo

O que houve com o carro do Ponza?

Friday, October 11, 2002

 
E aí, rapaziada? Rosinha levou logo no 1º e Lula vai nos fazer sofrer um pouco mais. Mas PT terá a maior bancada na Câmara dos Deputados! E o melhor de tudo foram as derrotas de Eurico, Medina etc. Paulista é mané mesmo! Eleger Dr. Enéas com 1,5 milhão de votos é piada de mau gosto. Vamos a Brasília, galera!
É, Ponzinha, parece que seu Brizola que já era...

Pensamento do dia:
Por que toda barata ao morrer assume a posição de frango assado?, enviada por Tiago Perri.

Wednesday, October 02, 2002

 
Agora é Lula!
Impossível não falar de eleições, galera. Temos que eleger o primeiro presidente operário deste país já no primeiro turno! Porque senão o bicho vai pegar. Neguinho – com todo respeito à raça de nossa futura governadora – vai pegar pesado, jogar sujo. Ponza: os traficantes vão continuar tendo poder de polícia nos bairros do Rio enquanto a elite deste país continuar se drogando; fortalecendo o tráfico de drogas. Vamos deixar de hipocrisia, rapaziada! É muito fácil se trancar dentro de casa, cruzar os braços e esperar uma ação do governo – que, diga-se de passagem, não está dando mole para traficante. Xô, mentiRosinha! Sou mais Benedita!

A seguir, uma "colinha" pra você copiar e votar certo no domingo:

Dep. Federal – Chico Alencar - 1303
Dep. Estadual – Alessandro Molon - 13010
Senador 1 – Edson Santos - 131
Senador 2 – Fernando Gusmão - 656
Governador(a) – Benedita da Silva - 13
Presidente – Lula - 13

Bem, agora é só marcar o Churrasco da Vitória, na casa do Zuzu. Com direito a lula com arroz e brócolis. Que tal dia 12 de outubro, sábado? O Paulão pode ir para afogar as mágoas. Ha, leleque!